Da arte de se desentortar pepino

É notável o desatrelamento dos governos nas estratégias de controlar a violência e a criminalidade nas nascentes.
No início da semana houve tumultos em duas unidades da Fase, a eterna ex-Febem, em Pelotas e, em Porto Alegre, na Vila Cruzeiro. Superlotação, desentendimento com monitores, planos de fugas frustrados, drogas, lutas por liderança, posse de armas artesanais pontuam, invariavelmente, esses episódios que, em seus momentos agudos, só podem ser controlados com o poder de polícia ou seja, pela Brigada Militar. Os monitores pouco podem fazer, pois trabalham sob um regime de terror. São ameaçados cotidiana-mente, ofendidos, agredidos sem que possam tocar nos meninos a não ser em legítima defesa e com o máximo de cuidado para não machucá-los. En-fim, o relacionamento dos servidores da Fase com os menores infratores não é diferente dos profissionais que trabalham no sistema penitenciário com os apenados. Em todas essas casas o domínio é de criminosos profis-sionais. O terror é permanente. Sigam-me.
Arte
Entre os presídios a serem construídos no Rio Grande do Sul com verba do Ministério da Justiça, repassada através da Senasp (Secretaria da Nacio-nal da Segurança Pública), um será destinado para jovens (adultos) apena-dos. Ao não conseguir equacionar solução do problema em sua nascente, que seria o de dar amplas condições de funcionamento para as unidades que abrigam menores, infratores ou não, o governo tenta uma estratégia que poderia se chamar de a Arte de Desentortar Pepino Adulto, quando a in-vencível sabedoria popular já sacramentou que é de pequenino que se de-sentorta o pepino.
Cibernética
A Acadepol (Academia de Polícia Civil do RS), desde ontem, a quarta edição do Curso Sobre Crimes Praticados na Internet, sob a coordenação do delegado Emerson Wendt. O curso terá alunos de Curitiba, Cuiabá, São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Florianópolis, Campo Grande e Brasília, todos selecionados pela Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública), juntamente com representantes do Rio Grande do Sul. Ao todo, 30 agentes participantes farão estudos sobre tipologias de crimes cibernéti-cos e empreenderão exercícios de análise de sistemas e aplicativos eletrôni-cos, disponibilizados em redes locais e internacionais.
Farda
Na madrugada de ontem, no bairro Medianeira, na avenida Élvio Bastos, em Santa Maria, uma empresa distribuidora de cigarros foi assaltada. Cinco funcionários foram rendidos e trancados no depósito. Sete quadrilheiros, fortemente armados, usavam toucas ninja e fardas da Brigada Militar. Uma carga de cigarros foi levada num caminhão e os funcionários, feitos reféns, foram libertados na localidade de Passo do Sobrado, divisa entre Venâncio Aires e Santa Cruz do Sul.
Carne
Em Uruguaiana, a Polícia Civil prendeu em flagrante, segunda-feira, uma mulher, proprietária de lanchonete no centro da cidade. Segundo o delega-do Roger Spode Brutti, a comerciante armazenava e vendia carne bovina proveniente da cidade Argentina de Paso de Los Libres, fronteira com Uru-guaiana. Na ocasião, foram apreendidos 156,092 Kg de carne.
Taxista
Agentes da Polícia Civil de Rio Grande detiveram, na manhã de ontem, dois suspeitos de participar do assassinato de um taxista, ocorrido na noite de 4 de sábado último. Segundo o delegado Elione Luiz Lopes, que solici-tou à Justiça a prisão preventiva dos suspeitos, os dois homens confessaram o crime.
Cadáver
O corpo parcialmente carbonizado de um homem foi encontrado, na ma-nhã de ontem, pela Brigada Militar na estrada da Fazenda, no bairro Gua-juviras, em Canoas.
Tráfico
A Brigada Militar e a Polícia Civil fizeram, ontem, uma operação con-junta contra o tráfico de drogas no bairro Mathias Velho, em Canoas. Um traficante de 50 anos foi capturado em casa. No local, foram encontrados um revólver, 91 pedras de crack, 23 petecas de cocaína, 58 gramas de co-caína, balança de precisão e um veículo.
Homicídios
Setembro foi o mês com maior número de homicídios do ano no Rio Grande do Sul: em média, cinco pessoas foram mortas por dia. A Secretaria da Segurança registrou 148 assassinatos. Um dos municípios que mais preocupa é Canoas, onde houve 94 casos no ano. O comandante da Briga-da Militar da cidade, coronel Rodolfo Pacheo, afirma que a realidade social do local agrava o problema. Segundo Pacheco, o bairro Guajuviras, no qual 1/3 dos moradores não tem saneamento básico. Em todo estado já foram registrados 1.215 homicídios neste ano, deste total 350 foram em Por-to Alegre.

Deixe uma resposta