As teias da Justiça Militar do Estado

Dentro de suas funções, nenhum tipo de servidor público deve ter direito a qualquer tipo de caixa preta.
Segundo o promotor de Justiça Militar da Capital, João Barcelos de Souza Júnior, os auditores do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) deverão investigar, a partir de segunda-feira a existência de nepotismo cruzado no Tribunal Militar e em outras instituições. João Barcelos citou que o vice-presidente da corte, ex-comandante da Brigada Militar, coronel Antônio Maciel Rodrigues, tem uma filha trabalhando no Ministério Público Estadual; o juiz Geraldo Beneguzi tem filhos no Ministério Publico e no Tribunal de Contas, o mesmo acontecendo com o juiz militar Bona Garcia. Citou que o ex-procurador Geral de Justiça, Cláudio Barros Silva, tem um sobrinho no Tribunal Militar, a esposa e uma sobrinha no Tribunal de Contas do Estado.
Sobre isso, na concepção deste humilde marquês, aqui, neste espaço, já ficou referido, que tanto mais elevada a posição do servidor público, seja em cargo de confiança, seja por concurso, seja por eleição, ele deve plena e constante satisfação de seus atos à sociedade, pela qual, sob o ponto de vista ético, pode e deve ser questionado a qualquer momento e sem nenhum tipo de sigilo. Esse episódio obscuro que tem raízes no Tribunal de Justiça Militar do Estado, cujos membros não podem ser definidos como servidores públicos descamisados, como o são os PMs que patrulham as nossas esquinas, deve ser aberto em sua plenitude e, se assim não acontecer, a sociedade estará sendo traída, seja qual for o resultado da devassa.
Crime
A DP de Camaquã, através do delegado Saul Kazanowski, revelou que todos os indícios analisados indicam que a menina Deise Sampaio Schuster, 11 anos, foi assassinada. O corpo foi encontrado quarta-feira num buraco perto da casa onde morava ela morava em Chuvisca, Sul do estado. A jovem havia desaparecido há quatro dias.
Banco
Quatro homens assaltaram, ontem, a agência do Banrisul instalada na Secretaria Municipal de Administração de Pelotas. Os bandidos renderam seguranças e funcionários e levaram uma quantia em dinheiro não divulgada.
Trafico
No final da tarde quarta-feira, a 1ª DP de Bagé prendeu duas pessoas por tráfico de drogas. Na frente de uma escola do bairro Getúlio Vargas, foi capturado um homem de 28 anos que operava com a venda de crack. Momentos após, na rua Venâncio Aires, foi preso um jovem de 21 anos, que traficava crack e maconha. Caso tivéssemos legisladores lúcidos, o traficante que atuasse junto a escolas deveria responder por crime hediondo.
Bom Jesus
Um jovem foi baleado na cabeça noite de ontem na Vila Bom Jesus, na capital. Cleiton Rodrigues de Oliveira foi internado em estado grave no Hospital São Lucas. O jovem não tem antecedentes criminais. Nos últimos três dias, duas pessoas foram baleadas e uma assassinada naquela vila.
Casal
Ontem, na avenida Moab Caldas, bairro Santa Tereza, em Porto Alegre, uma patrulha do 1º BPM efetuou a prisão de um jovem de 21 anos, Igor Chaves, em companhia de uma mulher de 46 anos, Marina de Souza. Segundo os policiais, o casal tinha em seu poder uma espingarda de calibre 12, um revólver de calibre 38, ambas as armas com numeração raspada, 88 tijolinhos de maconha, uma pedra grande de crack, uma bucha de cocaína, farta munição além de objetos como celulares e carregadores provavelmente recebidos em troca de drogas. Igor e Marina estavam em liberdade provisória e foram autuados em flagrante.
Morte
Um jovem foi morto na noite de quarta-feira durante uma ação da Brigada Militar num ponto de tráfico de drogas no Jardim Porto Alegre, em Alvorada. Giovani Marques Vargas, de 22 anos, teria sacado um revólver e foi baleado pelos PMs.
Moços
Ontem, na rua Itaqui, balneário Cassino, em Rio Grande, uma guarnição do 6º BPM três rapazes, um com 29 anos de idade e dois com 26 anos, envolvidos em estupro, furto, lesões corporais e receptação. Foi apreendido um revólver de calibre 44.
Motoqueiros
A fiscalização no trânsito em Porto Alegre é ineficaz, especialmente em relação a motociclistas ou, mais popularmente, motoqueiros que fazem o que bem entendem contra condutores de outros veículos e, especialmente, contra pedestres. Não é diferente o que ocorre nas rodovias e nas cidades do interior. Além disso, o reduzido efetivo da polícia ostensiva não tem controle sobre os assaltos praticados por motoqueiros. Paralelamente a isso, o Ministério da Saúde acaba de divulgar que as mortes de motociclistas crescem 2000% no país. Este conjunto todo demonstra o absoluto despreparo do poder público no trato com todos os tipos de condutores de motos, delinqüentes ou não.

Deixe uma resposta