Banalidade do mal

A boa notícia é que a Fundação Municipal do Meio Ambiente de Gravataí suspendeu o sacrifício de cerca de 300 cervos do parque Pampa Safari.
A banalidade do mal, expressão da filósofa Hanna Arendt, de repente tinha ganho atualidade: como se sabe, o Ibama determinou essa matança de Gravataí.
Seria um “abate humanitário” de animais tuberculosos, para evitar contágio.
Regina Becker, ex-secretária dos Direitos Animais de Porto Alegre, tinha denunciado: “o dito abate humanitário, em verdade, é um tiro de pistola pneumática”.
O suposto risco de contaminação de seres humanos, é refutado por técnicos e cientistas e também pela própria realidade: nenhum empregado do Parque foi contaminado.
Assim, enquanto não houver uma prova concreta do perigo, o suposto abate humanitário não passa de um massacre.

Deixe uma resposta