LIDIANE KLEIN / Nossos idosos precisam de demonstrações de amor

O momento é crítico não só no Brasil, mas em todo mundo, frente à pandemia. O isolamento tem afetado a saúde mental de toda a população, impreterivelmente. E a terceira idade é a mais vulnerável, o que pode desencadear muitas repercussões psíquicas negativas.

Nas últimas décadas, houve um crescente incentivo a esta parcela da população para que saísse de suas casas, frequentasse grupos de idosos, fosse fazer atividades que lhe desse prazer. Os idosos sentiram o gosto deste protagonismo e a liberdade proporcionada, aprenderam a se valorizar e a viver de uma forma mais plena. Eis que chega este vírus e a orientação agora é que fiquem em casa.

As relações sociais, que sempre foram fatores protetivos a sua saúde mental, agora são restritas a ligações e a vídeo chamadas, na sua maioria.

Eles estão sofrendo com estas restrições. Seus direitos de ir e vir foram tolhidos. A saudade que eles estão dos familiares, dos amigos e, principalmente, dos netos faz o peito apertar. Sentem falta do toque, dos abraços e beijos.

Muitas famílias se fazem presentes da forma que conseguem, porém denúncias à delegacia do idoso mostram que há filhos usando a desculpa do coronavírus para abandonarem seus pais.

Com a proximidade do Dia das Mães e a orientação para manter-se o distanciamento social, as famílias têm ficado indecisas sobre como proceder nesse dia. Essa é uma data muito especial, quando são celebrados e demonstrados afetos pela sua matriarca. Mas, infelizmente, um dos desafios mais dolorosos da quarentena é ficar distante de pessoas queridas, sem podermos tocar, abraçar e beijar.

Neste momento, precisamos ser responsáveis e conscientes de não colocarmos a nós e nem os nossos em risco. Este período irá passar e depois estaremos todos juntos novamente. Sua mãe, ou qualquer outro familiar idoso, precisa sentir-se amparado emocionalmente e sentir que os vínculos afetivos estão fortalecidos.

O distanciamento que a quarentena nos impõe é físico, mas ele não precisa ser emocional.

Existem diversas formas de demonstrar o carinho que sentimos por nossa mãe, o mais importante é que ela possa ter a certeza deste sentimento. Muitas vezes deixamos de dizer para as pessoas o quanto elas são importantes para nós, pois deduzimos que elas já saibam. Será mesmo? Nunca é demais um ‘eu te amo’, ou demonstrar gratidão por tudo que a sua mãe lhe proporcionou.

A quarentena está sendo um tempo de nos reinventarmos em vários aspectos da vida, e essa data comemorativa às mães não será diferente. Teremos que ser criativos para que essas pessoas tão especiais nas nossas vidas possam sentir-se valorizadas e amadas.

Algumas dicas para surpreender sua mãe:

Programe um café ou almoço por vídeo-chamada, assim conseguirão compartilhar deste tempo juntos;

Prepare um vídeo com fotos de momentos que passaram juntos, ela poderá matar sua saudade;

Deixe flores, presente ou mesmo uma sexta de café na manhã na sua porta;

Escreva uma cartilha para sua mãe, demonstrando todo carinho que sente por ela.

É importante termos em mente que este período difícil irá passar, e cada um fazendo a sua parte, prevenindo-se, sairemos mais exitosos.

Nem todas as pessoas possuem recursos internos de enfrentamento para a situação, ajuda profissional pode se fazer necessária. Se você perceber que seu familiar idoso está com dificuldades de adaptação e enfrentamento, busque um auxílio profissional especializado, ninguém precisa sofrer sozinho.

  • Lidiane Klein é psicóloga, especialista em Neuropsicologia, mestre em Psicologia e Saúde, doutoranda em Ciências da Reabilitação.

Deixe uma resposta