Os golpes e as mentiras da Globo

P.C. DE LESTER
No dia 2 de abril de 1964, o presidente da República, João Goulart, ainda estava em território brasileiro.
Havia desembarcado às 3h15 minutos da madrugada no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, para decidir se resistiria ou não à quartelada que se iniciara contra seu governo.
Nas primeiras horas da manhã, o presidente estava reunido com o comandante do então III Exército e os comandantes de todas as unidades da região Sul, mais líderes políticos como Leonel Brizola e outros.
Naquela manhã, o jornal o Globo circulava no Rio de Janeiro com a seguinte manchete no alto da página: “Jango Fugiu: A Democracia Está Restabelecida” e abaixo em letras garrafais: “EMPOSSADO MAZZILLI NA PRESIDÊNCIA”.
O Globo mentiu para encobrir um atentado à Constituição, que se praticou com a posse forjada de Rainieri Mazzilli, o presidente da Câmara, quando o presidente da República ainda estava em território nacional.
Na calada da noite, o presidente do Senado, Auro Moura Andrade, numa sessão de três minutos, declarou vaga a Presidência da República e elegeu Mazzilli para o cargo. Naquela época, Roberto Marinho tinha apenas o jornal e a rádio Globo.
A TV que daria origem à Rede Globo, entrou no ar um ano depois, não por acaso.
No dia 1º de setembro  de 1969, estreou o Jornal Nacional, “o primeiro noticioso em rede nacional de televisão” no Brasil.
A principal notícia foi a doença do presidente Costa e Silva, há quatro dias com uma “crise circulatória”. O locutor Hilton Gomes disse que o presidente “passou bem à noite e está em recuperação”.
O presidente, na verdade, tivera uma isquemia cerebral. Estava prostrado na cama, semi-paralítico e mudo. Os três ministros militares já haviam empalmado o poder, descartando o vice-presidente, Pedro Aleixo.
O Jornal Nacional mentiu, encobrindo o chamado “golpe dentro do golpe”.
Portanto, quando William Bonner diz que os jornalistas da Globo não criam fatos, mas apenas os divulgam e que “sempre foi e vai continuar sendo assim”… é bom botar o pé atrás.
Agora, toda a Globo está empenhada em dizer que o impeachment contra Dilma não é golpe. Não estará ela, novamente, tentando encobrir outro golpe?
(Publicado originalmente em 30 de março de 2016, com o título: “A Globo e o Golpe: nas duas vezes anteriores, ela mentiu”)

Deixe uma resposta