Skaf, o homem do pato, recebeu R$ 6 milhões da Odebrecht

Lembra daquele enorme pato amarelo que a Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo)  colocou na Avenida Paulista durante as manifestações e que foi um símbolo da campanha contra o governo Dilma?
Pois é, agora se fica sabendo quem realmente “pagou o pato”.
Em seu depoimento nesta quarta-feira, o empresário Marcelo Odebrecht, presidente da empreiteira que está no centro do esquema de corrupção política que assola o país, declarou que R$ 6 milhões (de um total de 10 milhões doados pela empresa via caixa 2 ) foram destinados a Paulo Skaf, atual presidente da Fiesp, que foi candidato do PMDB ao governo de São Paulo em 2014.
A informação, claro, não mereceu maior destaque nos grandes jornais.

Skaf hoje é um dos maiores defensores do governo Temer e defende entusiasticamente a “flexibilização” das leis trabalhistas. “No futuro, uma das grandes crises a ser enfrentada é a do desemprego. Nesse sentido, é fundamental a reforma trabalhista”, declarou ele em palestra recente.
“O presidente da Fiesp e do Ciesp disse estar confiante quanto às reformas em curso. Skaf também tratou da expectativa de queda mais acentuada dos juros nas próximas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom)”.

Reunião do Cort com a participação de Paulo Skaf. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Reunião do Conselho Superior de Relações do Trabalho da Fiesp com a participação de Paulo Skaf. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 
 
 

Deixe uma resposta