Temerildo nada de braçada num mar de mentiras e enganação

ANDRES VINCE
Dizem por aí que o humor do Brasil melhorou. Já não há tanto pessimismo no ar e novos horizontes iluminam os olhos desempregados dos brasileiros.
A crise virou coisa do passado e a ordem geral é apoiar o novo governo. Incondicionalmente, mentindo se for preciso.
No domingo de 17 de julho o dominical Fantástico não teve pudor de veicular uma mentira em formato de matéria, informando que a reforma da Previdência é necessária para que o trabalhador de hoje não fique sem aposentadoria amanhã.
A imprensa em geral usa o déficit da Previdência pra provar essa lógica. Só não explicam (ou explicam mal) que no bolo do caixa da Previdência estão incluídos pagamentos de muitos outros benefícios tais como o seguro desemprego, seguro de acidentes, seguro maternidade e muitos outros. A Previdência também paga dezenas de outros auxílios para classe de baixíssima renda, como o Bolsa Família, por exemplo. Ou seja, são benefícios que não tem arrecadação, mas, a Previdência tem que pagar por força da Constituição.
Historicamente o governo federal cobre esse rombo por uma mera questão contábil. Usam o argumento do déficit para iludir o trabalhador, que, é claro, não vai se furtar de apoiar uma medida que vai “salvar” sua aposentadoria. É a famosa vaselina, ou simplesmente K.Y. para os mais modernos.
Outro caso não menos assustador: a manipulação de dados de uma pesquisa de opinião pela Folha de SP. Farsa já denunciada por Glenn Greenwald no The Intercept e definitivamente desmascarada pelo site Tijolaço. E nada vai acontecer porque não existe nenhum órgão pra punir esse tipo de safadeza.
Não contente em ter a manipulação desmascarada publicamente, a Folha não admitiu o erro e alegou não ter achado relevante que 62% dos entrevistados preferem novas eleições. Nem o ombudsman da empresa engoliu essa. Manipulação de grosso calibre, sem margem de erro.
Mais mentira? Temos. Logo cedo no café da manhã.
Recentemente, Miriam Leitão repassou um boato no Bom Dia Brasil como se fosse informação comprovada. Disse que o governo interino havia detectado 45 mil pescadores recebendo o seguro-defeso (pago quando o pescador fica proibido de pescar) em Brasília, onde só há um único lago! Que escândalo! Mais uma prova cabal da corrupção endêmica que assola um único partido do nosso país.
Ilustra-Vince2709_2Nada mais foi dito, nada mais foi comentado. Ainda bem que existe o doutor Google. Ele nos informa que em novembro de 2015 o governo federal suspendeu o pagamento do seguro para efeito de recadastramento, pois, havia sido detectada incongruência entre o número de pescadores levantado pelo IBGE e número de seguros que estavam sendo pagos. Porém, a portaria foi derrubada por decreto legislativo. Em janeiro de 2016, o STF entra em campo pelas mãos do ministro Ricardo Lewandowsky e derruba o decreto legislativo, suspendendo novamente o pagamento. Em março, o ministro Luís Roberto Barroso restabeleceu o decreto legislativo, restabelecendo o pagamento. Notícias recentes informam que muitos pescadores até hoje não conseguiram receber o seguro em função de não terem sido recadastrados. Resumindo: a situação está uma zona. Nada que possa ser tratado como nota de rodapé ou em conversa de chá das quatro. Nada contra o chá.
Duas semanas atrás a Polícia Federal entrou em ação contra as fraudes no seguro-defenso. No Amapá. Até semana passada o Diário Oficial não registrava nenhuma suspensão no pagamento do seguro, ou seja, os 45 mil pescadores de Brasília seguem tranquilos em casa tentando pescar algo que preste na televisão durante a piracema. Será? Mais uma chacoalhada no dr. Google e ele confessa a farsa. Em outubro de 2015, nota de igual teor (textualmente) foi publicada na coluna Ricardo Noblat, com uma sintética diferença: a nota falava em escandalosos sete mil pescadores. Deve ter sido a inflação galopante que transformou esses sete mil em 45 mil em menos de um ano. Até prova em contrário foi um boato plantado a mando, com certeza.
O Temerildo não tem nem o pudor de poupar o próprio filho e usa o menino, pela segunda vez, para tentar alavancar a sua inexistente popularidade. Um governo inerte, que, só por não fazer nada, já acalma o temido mercado. E o otimismo vem brotando do solo estéril e arrasado. Um verdadeiro milagre!
Depois de servir como máquina de moer reputações, agora a mídia coloca a mentira e a desinformação a favor dos golpistas. Já temos até terroristas. Como nos velhos tempos da ditadura.
 

Deixe uma resposta