Trabalho informal bate recorde no Brasil

O número de trabalhadores informais chegou a 39,3 milhões, recorde da série histórica do indicador, iniciada em 2015, no segundo trimestre de 2022, conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada nesta sexta-feira (29/7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

As categorias principais da informalidade, que são os empregados sem carteira no setor privado e os trabalhadores domésticos sem carteira, continuaram aumentando.

O número de empregados sem carteira assinada no setor privado (13 milhões de pessoas) foi o maior da série. Esse contingente cresceu 6,8% em relação ao trimestre anterior (mais 827 mil pessoas) e 23% (2,4 milhões de pessoas) no ano.

O número de trabalhadores domésticos (5,9 milhões de pessoas) subiu 4,4% (mais 248 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e 19,4% (mais 950 mil pessoas) no ano.

O número de empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado (exclusive trabalhadores domésticos) foi de 35,8 milhões, subindo 2,6% (908 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e 11,5% (mais 3,7 milhões de pessoas) na comparação anual.

No trimestre móvel de abril a junho de 2022, o número de pessoas em idade de trabalhar (14 anos ou mais de idade) foi de 173 milhões. Participam da força de trabalho 108,3 milhões de pessoas que têm idade para trabalhar e que estão trabalhando ou procurando trabalho (ocupadas e desocupadas).

 A população fora da força de trabalho chegou a 64,7 milhões de pessoas. Envolve força de trabalho potencial e fora dela; buscaram trabalho, mas não estavam disponíveis; não buscaram trabalho, mas estavam disponíveis; desalentados e não desalentados. Universitário que dedica seu tempo somente aos estudos e dona de casa que não trabalha fora não são considerados desempregados.

O número de trabalhadores por conta própria (25,7 milhões de pessoas) foi o maior para um trimestre encerrado em junho, desde o início da série histórica, em 2012. E o rendimento real habitual (R$ 2.652) ficou estável frente ao trimestre anterior e caiu 5,1% no ano. 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.