Eleições 2020: grandes empresários são os financiadores da candidatura Melo

Para chegar no segundo turno, Sebastião Melo gastou R$ 7,24 por voto. Foto Divulgação MDB

A candidatura de Sebastião Mello à prefeitura de Porto Alegre arrecadou exatos R$ 1.482.681,99 (hum milhão quatrocentos e oitebta e dois…), informados a Justiça Eleitoral.

Do total, R$ 478.800,21 são doações de pessoas físicas, o que representa 32,29% do total arrecado (R$ 1.482.681,99). Os dados estão disponíveis pelo TSE.

Os sete maiores “mecenas” da campanha emedebista são os empresários Ricardo Antunes Sessegolo, diretor do grupo Goldsztein, José Isaac Peres, sócio do grupo Mulitplan, ambos doaram R$ 40 mil. E os sócios do grupo Abelim, empresa que atua no processamento e importação de carne, Michele Shen Lee, Maximiliano Chang Lee, Lee Shing Wen, Eduardo Shen Pacheco da Silva e José Roberto Fraga Goulart.

Ricardo Sessegolo, empatado 1º lugar no ranking de maiores doadores, é do ramo da construção civil, diretor da Goldsztein e ex-presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul, o SINDUSCON-RS.

José Isaac Peres, que também foi um dos maiores doadores da campanha de Nelson Marchezan Júnior (com R$ 70000), é fundador e acionista do Grupo Multiplan, responsável pelo Barra Shopping Sul. O grupo também controla outros 18 shoppings de alto padrão, em seis estados brasileiros.

Já os sócios da Lee Shing Wen, chinês naturalizado brasileiro, Michele Shen Lee, Maximiliano Chang Lee, Eduardo Shen Pacheco da Silva, descendentes do país asiático, e José Roberto Fraga Goulart, atuam na importação de produtos alimentícios, mais especificamente no segmento de proteína animal, tendo como base duas marcas: a Alibem, produtora de carne suína e a Agra, produtora de carne bovina. Ambas estão entre as cinco maiores exportadoras de carne do sul do país.

Outras dezenas de pessoas também aparecem na lista de doadores da campanha de Melo. Os valores arrecadados ainda não são os definitivos, já que despesas e receitas podem ser inseridas a qualquer momento pelo partido e candidato no sistema da Justiça Eleitoral. Oficialmente, a campanha tem até 15 de dezembro para apresentar as despesas finais.

Mas principais fontes de receita dos candidatos são o fundo especial e partidário (dinheiro público). Depois aparecem doações de pessoas físicas. Há ainda possibilidade de financiamentos coletivos. A Justiça Eleitoral definiu em R$ 6,6 milhões o teto de gastos para cada um dos concorrentes à prefeitura de Porto Alegre.

Para chegar no segundo turno, Sebastião Melo gastou R$ 7,24 por voto. Já sua adversária, Manuela D’Ávila, gastou R$ 10,14.

Do total arrecado, a campanha de Melo já indicou despesas no valor de R$1.451.725,73. O maior gasto é com a produtora Cubo Filmes, R$ 278 256,00.

Ranking doadores campanha de Sebastião Melo (MDB) 

- Direção Nacional (MDB)                   R$ 720.900,00
- Direção Estadual (MDB)                   R$ 202.481,78
- Direção Nacional (Democratas)            R$ 80.500,00
- Ricardo Antunes Sessegolo                R$ 40.000,00
- Jose Isaac Peres                         R$ 40.000,00
- Michele Shen Lee                         R$ 36.000,00
- Maximiliano Chang Lee                    R$ 36.000,00
- Lee Shing Wen                            R$ 36.000,00
- Jose Roberto Fraga Goulart               R$ 36.000,00
- Eduardo Shen Pacheco da Silva            R$ 36.000,00

Fonte: Divulgação de Contas TSE

 

Deixe uma resposta