A Missão do Leigo e da Igreja

Christian Lavich Goldschmidt*

O leigo precisa ter consciência, cada vez mais, que desempenha um papel fundamental na luta pela manutenção da saúde da igreja. Conscientizando-se da realidade dos problemas vividos nos bairros e comunidades, o leigo faz a sua teologia, embora deva agir em comunhão e corresponsabilidade com a igreja-mãe.

Portanto, o leigo deve ser, com todo orgulho, “o tronco da árvore” – Isto é, aquele que liga a raiz aos galhos, pois quem vê na árvore somente teólogos profissionais, vê apenas os galhos das árvores e não vê nem o tronco, que é a reflexão e o trabalho de ligação dos pastores e demais agentes, nem a raiz, composta pelo povo que se oculta na profundidade silenciosa da terra e que sustenta a árvore toda.

Como leigos, sentimo-nos agradecidos com este grande evento Ecumênico que aconteceu em nossa cidade. Que isto realmente proporcione novos ares e nova vida às lideranças espiritualistas. Que nós tenhamos a consciência que a igreja não é uma simples instituição que se preocupa com sistemas jurisdicistas, legalistas e materialistas, mas é algo que nos leva a buscar na ação e na fé, resgatar os valores da vida em todos os sentidos.

Que igrejas não se prendam a paradigmas que nos deixam cegos frente a mudanças necessárias. Que não se fomente uma religião que nos faça acreditar numa interpretação mágica da bíblia para compensar a desumanização crescente da sociedade. Igreja verdadeira e coerente representa mais do que apontar para uma possível solução, é dar-nos as mãos num intenso trabalho de transformação conjunta, levando até a base da sociedade a reeducação política, social, cultural, econômica e religiosa. Daí sim, na certeza de estarmos fazendo a nossa parte, tomaremos o discernimento  que nos levará ao êxito.

Buscamos uma igreja que não esteja a serviço da “Grande religião de Mercado”, mas onde trabalha-se no bem coletivo criando projetos que despertem para a vida.
*escritor e ator

Deixe uma resposta