Assaltos não devem causar espanto.

Policiamento não é feito somente com efetivo completo, mas sem efetivo não há policiamento.
Quando os bandidos assaltaram, ontem, Lisete Feijó, eles não sabiam que se tratava da esposa do vice-governador do Estado, Paulo Feijó. No entanto, sabiam que poderiam assaltar, fosse quem fosse, num bairro nobre de Porto Alegre ou num beco de uma vila periférica. Como Lisete é uma pessoa de destaque em nossa sociedade, há quem fique espantado. E não há razão para o espanto. Hoje há quadrilhas que atacam com grupos de até uma dezena de membros e o policiamento ostensivo, com gloriosas exceções, chega apenas depois do fato consumado. É verdade que o policiamento não depende, exclusivamente, de efetivo completo nas ruas, mas é também verdade quem sem efetivo não há policiamento.
E não se pode negar que a polícia está trabalhando. Em todo o Estado, em sete meses, deste ano, a Brigada apreendeu 5.200 armas e prendeu 73 mil pessoas. Até o fim do ano o número de presos deverá ser suficiente para lotar o Olímpico e o Beira Rio e não tenho idéia do local onde poderá ser depositado o arsenal que vem por aí. Mas que armas são essas e com quem estavam? E os presos? Onde está esta multidão? A sociedade não quer tantos presos, mas, sim, que sejam presas as pessoas certas.
Vandalismo
A Polícia Civil tem pistas que podem levar a localização do grupo que praticou atos de vandalismo em estabelecimentos comerciais na zona norte de Porto Alegre. Mais de dez lojas e prédios tiveram vitrinas e portas quebradas desde a noite desta quarta feira. As ações ocorreram nas avenidas Nilo Peçanha, Carlos Gomes e D.Pedro II. De qualquer forma, estes fatos são reveladores da deficiência do policiamento ostensivo que é realizado, principalmente, na capital e região metropolitana.

Brigadianos

três bandidos assaltaram, ontem, o posto bancário Sicredi na sede da AsofBM (Associação dos Oficiais da Brigada Militar), na travessa Leonardo Truda, no Centro da capital. Os criminosos renderam uma moça na entrada do prédio e obrigaram os vigilantes a abrir a porta do posto que fica no 2° andar. O presidente da AsofBM, coronel da reserva Cairo Bueno de Camargo, está inconformado com a sensação de insegurança que atinge, inclusive, a família brigadiana. Agosto tem média de um ataque por dia contra agencias bancárias somente na região metropolitana.
Visita
O titular da SSP-RS (Secretaria da Segurança Pública do RS) Edson de Oliveira Goularte, na manhã de quinta-feira, visitou o Palácio da Polícia. Recebido pelo chefe da Polícia Civil, Goularte manteve um conversa informal com toda a cúpula da instituição. Assim, Goularte começa a conhecer, pessoalmente, quem ele vai confirmar e quem irá substituir.
Surpresa
No 1º Simpósio de Segurança Pública promovido pelo CPC (Comando de Policiamento da Capital), desenvolvido quarta-feira, das 8h às 17h, houve surpresas. Revelo uma: o auditório das torres gêmeas do Ministério Público, onde ocorreu o evento, estava lotado. Pelo menos 500 PMs, fardados, não contando os membros da banda da corporação, estavam presentes, fato comprovado pelos próprios fotógrafos da Brigada Militar. Inclino-me a crer que estou cometendo alguns equívocos ao comentar a carência de efetivo na Brigada.

Deixe uma resposta