ELMAR BONES/ Eleições 2022: o fator Eduardo Leite

A pré-candidatura de Eduardo Leite à presidência da República pelo PSDB foi lançada há  quatro meses por 12 deputados aecistas. Eles vieram a Porto Alegre para formalizar o apoio ao governador gaúcho.

A princípio, o lançamento foi entendido como uma manobra dos caciques tucanos para acuar João Dória, auto-candidato à presidência desde que assumiu o Palácio dos Bandeirantes em janeiro de 2019.

Para se livrar de constrangimentos na campanha,  Dória quis expulsar Aécio Neves, um dos fundadores do Partido, e, no embalo,  tentou tomar o controle do diretório nacional, numa manobra desastrada. Caiu em desgraça.

Para defenestrá-lo, os caciques do partido cortejaram Luciano Huck e com a desistência dele, voltaram-se para a alternativa do jovem governador do Rio Grande do Sul.

Com Isso, a decisão sobre o candidato tucano para 2022  foi remetida para uma eleição prévia, situação não prevista por Dória.

Na sequência, um dos caciques tucanos, Tasso Gereissati, também se lançou como pré-candidato, talvez como manobra dispersiva. Assim como  Artur Virgílio, também sem chances.

Eduardo Leite já recebeu a avaliação de sua performance num encontro com dez dos maiores empresários do país, em São Paulo, que o ouviram como pré candidato do PSDB.

Um dos presentes, de larga experiência e conhecedor do meio político, relatou que a conclusão é: o discurso é articulado, o diagnóstico é certo, os números estão no lugar, o governador sabe o que diz e sabe com quem fala,  mas não empolga. O tom é burocrático, de um tecnocrata,  “não encanta”.

O potencial que viram, no entanto,  motivou o relatório crítico que remeteram ao governador, com o reconhecimento de que são  falhas que o candidato pode facilmente superar.

A frase do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso neste fim de semana arrancou urras dos mais empolgados no núcleo que trabalha a campanha do governador.

FHC disse que Lula “é uma pessoa inteligente, intuitiva. Mas, para ser franco, nós precisamos de gente jovem, que tenha energia”.

Todos entenderam a referência  direta a Eduardo Leite.

Se vencer as prévias,  Leite será um fortíssimo candidato à terceira via e, na pior das hipóteses, pode ser um vice decisivo no segundo turno.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta