ELMAR BONES/ O salame

É atribuída ao marechal Costa e Silva a metáfora do poder como uma peça de salame: “Se você usa bem corta uma fatia, quando usa mal corta duas…em qualquer caso ele fica sempre menor”.

Jair Bolsonaro usou seu poder presidencial para promover, estimular e participar dos eventos deste Sete de Setembro.

Terá cortado duas grossas fatias para misturar os atos oficiais do Dia da Independência com dois comícios de candidato a ditador, que ameaça o STF e impõe condições para aceitar as eleições em 2022, que não admite perder.

O golpe, explícito agora, é a alternativa que Bolsonaro busca para restaurar o poder que alcançou em 2018 e que vem fatiando prodigamente para se manter à frente de um governo sem rumo.

A questão é saber se o que lhe resta do salame é suficiente para tanto.

 

 

 

 

Deixe uma resposta