Esperteza na área da segurança pública.

Brigada Militar vai anunciar, amanhã, como será o novo jeito de policiar a Capital.
As estratégias dos bandidos que têm seu campo de ação em Porto Alegre e Região Metropolitana são conhecidas, tanto contra condutores de carros particulares, como as exercidas nos ataques ao transporte coletivo e a pe-destres. Na mesma medida, sabe-se como os quadrilheiros agem nas inves-tidas realizadas em bancos e estabelecimentos comerciais. O policiamento ostensivo que, segundo o titular da pasta da Segurança Pública, Edson de Oliveira Goularte, é numéricamente inferior, deve agir com “esperteza” para combater os desatinos da bandidagem. Não posso deixar de crer que é na esteira dessa “esperteza” selada por Goularte que, amanhã, a Brigada Militar, através do comandante do CPC (Comando de Policiamento da Ca-pital), coronel Jarbas Rogério Carvalho Vanin, revelará para a sociedade (logo, também à bandidagem), através da mídia, em entrevista coletiva, a nova estratégia do policiamento ostensivo na Capital.
Modestamente, aqui da minha torre, entendo que o trabalho da polícia, seja a ostensiva, seja a investigatória, deve ter a sua eficiência aferida pelos seus resultados e não por seus anúncios. Quando anunciada a ação, os resulta-dos, certamente, resultarão prejudiciados. No entanto, este humilde mar-quês não é um especialista e, sim, um mero observador e, portanto, sem ser iniciado em espertezas, ficará torcendo para o sucesso tanto dos anúncios do coronel Vanin como para os resultados das tarefas pautadas.
Assassinato
Sexta-feira, em Canoas, no bairro Niterói, o jovem Neidson Santos Rosa, 24 anos, foi assassinado. Segundo a polícia, que ainda não tem pistas sobre a autoria do crime, Neidson foi atingido por três disparos.
Vila Respeito
Um homem de 38 anos, conhecido como Pataço, acusado dos crime de roubo e seqüestros, foi preso foi preso na Vila Respeito, Zona Norte da ca-pital, em diligências coordenadas pelo delegado André Ciardullo Mocciaro, titular da 12ª DP. Pataço é um dos principais bandidos que integrava a “Gangue das Cabritas”, grupo criminoso que atuava naquelaa região da ci-dade.
Corrupção
Mais uma edição do curso de combate à corrupção e a lavagem de dinhei-ro – destinado à policiais civis – será realizada segunda e terça-feira, dias 15 e 16 deste mês. O evento é promovido pela Acadepol (Academia de Po-lícia Civil) em parceria com o Pronasci (Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania) e será realizado no auditório da Asdep (Associação dos Delegados de Polícia) na rua rua Visconde de Inhaúma, nº 56, bairro Azenha. Porto Alegre. Nesses dois dias, estarão ministrando as aulas os delegados da Polícia Federal Alexandre da Silveira Isbarrola e Rodrigo Carneiro Gomes, o juiz federal José Balthazar, os procuradores da Repúbli-ca Antonio Carlos Welter, Carla de Carli e Deltan Martinazzo Dallagnol, a delegada Inês da Silva Cunha, da Polícia Civil de São Paulo, e Wagner Lu-ciano, representante da Controladora Geral da União. A delação premiada será um dos temas a serem desenvolvidos no evento.
Couro
Policiais da DP de Estância Velha recuperaram, sexta-feira, 300 Kg de couro beneficiado, carga roubada em janeiro último. Durante as investiga-ções, os policiais identificaram um dos assaltantes como sendo um homem de 36 anos de idade, preso em Sapucaia no dia 20 de agosto. Com o bandi-do, foram apreendidos 5kg de maconha e uma pistola 380. O couro foi re-cuperado com o proprietário de uma pequena fábrica de calçados localizada na rua Curitibanos, em Novo Hamburgo.
Violência
Um cidadão adquiriu um modem da Claro. Com poucos minutos de uso, o dispositivo deixou de funcionar. Então, a vítima descobriu que a Claro, cobra à vista o aparelho que não funciona, não rescinde o contrato – que é de um ano – tem lojas com supervisores que não decidem nada e uma assis-tência técnica sofrível e que fecha aos fins de semana. Eis um caso de vio-lência contra o cidadão.
Tribunais
Nestes últimos dias de inverno, permanece quente a silenciosa disputa dos coronéis da Brigada Militar pela vaga única de juiz existente no Tribu-nal de Justiça Militar do Estado, coincidindo isso com o renascimento da discussão sobre a extinção da corte. Entre as habilidades deste Tribunal, que de certa forma é uma das suas vantagens, está a pratica do nepotismo cruzado com o Tribunal de Contas do Estado.

Deixe uma resposta