Impasse no sistema penitenciário

Circunstâncias políticas e funcionais retardam decisão em torno de quem deve ser o titular da Susepe.
Um dos pólos que marca o período de indecisões na área da pasta da Segu-rança Pública se situa na Susepe (Superintendência dos Serviços Penitenci-ários). Com mais de um mês na titularidade nesta secretaria, Edson de Oli-veira Goulart mantém no comando de todo o sistema penitenciário gaúcho – que envolve três mil funcionários e em torno de 27 mil apenados – o inte-rino Bruno Trindade e não consegue desatar o nó que tem claras conota-ções políticas em que se digladiam o PMDB, o PSDB e o sindicato dos ser-vidores da Susepe, que tem Luiz Rocha na presidência.
Bruno Trindade, que é funcionário da Susepe, é homem do PMDB e o PSDB busca espaço no governo. O sindicato da categoria quer na superin-tendência um funcionário de carreira, mas não fecha com Trindade que per-tence a um grupo que, há muitos anos, se reveza nos principais cargos da instituição. O PSDB inclina-se pela indicação do atual ouvidor-geral da Se-gurança Pública do RS, Adão Paiani, que só assumiria se o seu adjunto fos-se um membro do sindicato, o que causa mal estar no governo. O coronel da Brigada Militar Paulo Renato Biachi Rodrigues, estaria sendo o preferi-do do titular da Segurança, mas, não obstante a sua competência, por ser de uma outra instituição, segundo Luiz Rocha, não tem a aprovação dos servi-dores da Susepe. Goulart terá de desfazer o impasse lembrando que tudo na segurança pública e de máxima urgência, pois o Diabo não dorme.
Susepe
A Susepe anunciou, ontem, o nome do novo titular da 4ª DPR (Delegacia Penitenciária Regional, com sede em Passo Fundo. Trata-se de Canrrobert Fournier da Silva, 54 anos, e funcionário do órgão há 24 anos. Também foi designado o novo diretor do Presídio Regional de Passo Fundo, que passou a ser Marco Antonio Pereira da Silva, que dirigia o Presídio de Arroio do Meio.
Receptadores
A 17ª DP, após dois meses de investigações, apreendeu no Centro de em bairros da Capital eletroeletrônicos e substâncias entorpecentes, sendo que o ponto alto da operação foi a localização de 320 aparelhos de telefonia ce-lular num centro comercial da rua Voluntários da Pátria. Segundo o dele-gado Antônio Vicente Vargas Nunes, este foi o primeiro passo em direção ao desmantelamento da quadrilha de receptadores que promove crimes con-tra pedestres no Centro da Capital.
Tiroteio
Dois assaltantes feridos em tiroteio com a Brigada Militar estão interna-dos no hospital São Vicente de Paula em Passo Fundo. Por volta das 22h de terça-feira a dupla assaltou um casal e fugiu para o distrito de Pulador onde houve o enfrentamento com os policiais.
Assaltantes
A policia prendeu, ontem, mais um envolvido no assalto a agência do Banrisul de Tenente Portela no Noroeste Gaúcho. O homem estava ferido em um matagal e se disse candidato a vereador da capital. O político, no entanto, está em campanha em Porto Alegre e foi assaltado há duas sema-nas nas proximidades do estádio Beira Rio e teve os documentos do carro e material de propaganda roubados. Uma mulher foi presa em Carazinho com um Vectra utilizado no assalto e um malote com quase 160 mil reais em dinheiro. Debora Alves, de 30 anos, é acusada de ter participado de um as-salto a carro forte em 2003 em Cachoeira do Sul. Ela é mulher do assaltante de banco Flávio Patel, de 38 anos, que está na penitenciária de alta segu-rança de Charqueadas.
Viaturas
Num prazo máximo de 90 dias, a Polícia Civil gaúcha contará com 43 novas viaturas. A Instituição adquiriu os veículos em pregão eletrônico rea-lizado no último dia 26 de agosto. Seis veículos serão distribuídos na Capi-tal e Região Metropolitana e os restantes irão para municípios do interior do Estado.
Subsídios
Representantes de todos os segmentos da Brigada Militar – de coronéis a soldados – e do comando da corporação, depois de uma série de reuniões criaram uma sugestão de anteprojeto de lei que estabelece o subsídio para os militares estaduais, aplicável aos inativos e pensionistas. Na proposta, é fixado como teto remuneratório o vencimento de coronel em R$ 19.699,82. O valor representa os salários, hoje em vigor, das polícias estaduais com melhor remuneração no Brasil. O documento foi entregue, terça-feira, ao comandante-geral da Brigada Militar, coronel Paulo Roberto Mendes e de-verá ser repassado, ainda nesta semana, à governadora Yeda Crusius.
A proposta da Brigada é muito parecida com a sugestão de anteprojeto a-provada pelos representantes das entidades de policiais civis do Estado. Todas as lideranças acordaram a busca pelo subsídio com teto de R$ 19.699,82. De maneira inédita, policiais militares e policiais civis estão juntos na busca por uma condição salarial considerada justa e digna.

Deixe uma resposta