Justiça Militar do Estado ficará como está.

Contestada de tempos em tempos, a corte da Brigada Militar parece estar bem protegida.
A extinção ou a reestruturação do Tribunal de Justiça Militar do RS (que também pode ser considerado como o Tribunal da Brigada Militar), apontamentos que estão contidos na proposta que o promotor de Justiça João Barcelos levará à consideração da Assembléia Legislativa, envolve o reaquecimento de um debate da maior importância que surge de forma episódica em nosso meio. Ainda que não tenha as luzes de uma pitonisa, permito-me dizer que, considerando as implicações políticas, administrativas e pessoais que envolvem aquela corte, as probabilidades de reestruturação são mínimas e, as de extinção podem ser consideradas inexistentes. A Brigada Militar tem uma força política muito forte e os seus coronéis não deixarão tocar em seu tribunal, embora uma minoria defenda a sua extinção. Além disso, o Piratini como a Assembléia Legislativa não conseguem equacionar soluções operacionais e salariais da maior urgência para os policiais militares e, por isso, não irão conspirar contra os brigadianos que almejam a magistratura. Todo o debate que visa ao aperfeiçoamento da máquina do Estado deve ser permanente como é este reavivado pelo promotor João Barcelos. No entanto, os donos da máquina estatal são egoístas e seguem a filosofia de não engraxar os eixos de suas carretas. Sigam-me.
A vaga
A discussão proposta pelo promotor João Barcelos ocorre, exatamente, quando há uma vaga aberta no Tribunal de Justiça Militar do Estado que deverá ser preenchida por um coronel da Brigada, seja ou não bacharel em Direito. A nomeação do novo juiz depende única e exclusivamente da caneta da governadora Yeda Crusius. Tecnicamente, 25 coronéis são candidatos. No entanto, politicamente, no máximo, quatro tem chances de serem agracidados pela honraria. Aquele que conquistar a graça da governadora vestirá a toga com remuneração e satus de desembargador e assim ficará até a aposentadoria compulsória, aos 70 anos de idade, quando levará para casa a integralidade de seus vencimentos. E João Barcelos quer acabar com isso. Isso me lembra Bilac: “Ora, direis, ouvir estrelas…”
Banco
Uma agência do Banrisul, localizada na rua Tiradentes, no centro de Canoas, foi assaltada, ontem, por, pelo menos, quatro homens armados. Ninguém foi ferido. Cerca de 30 funcionários foram trancados no cofre. O comandante da Brigada Militar na cidade, coronel Rodolfo Pacheco, acredita que alguém facilitou a entrada dos bandidos na agência.
Brinquedo
Três jovens e um adolescente foram presos logo após assaltarem, ontem, um lotação da linha Vila Nova, zona sul de Porto Alegre. O assalto ocorreu na rua Campos Velho. Os criminosos usaram uma arma de brinquedo e uma pistola. A policia foi avisada e eles acabaram presos.
Fuzis
A Policia Civil, por meio do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente, apreendeu material bélico, na manhã de ontem, em uma casa do bairro Restinga. De acordo com o delegado Gérson Mello, foram apreendidos fuzis, munição e cocaína.
Quadrilha
A Polícia Civil encerrou, ontem, a “Operação Trem Pagador”, coordenada pelo delegado Olinto Gimenez, destinada a combater as ações de uma quadrilha que praticava roubos a bancos no norte do Estado. Três pessoas foram presas em Itatiba do Sul e duas em Erechim. A quadrilha foi desarticulada em 30 de junho no interior de Entre Rios do Sul. Na oportunidade, a polícia evitou que fossem roubadas as agências do Sicredi e Banrisul daquele município. Foram presos, então, sete dos integrantes da quadrilha. Outros três resultaram mortos.

Sem ensaio

A rivalidade entre equipes da Polícia Civil e Brigada Militar está dando resultados positivos. As duas corporações estão investindo pesado contra o tráfico de drogas, mas cada uma na sua, nada de jogadas ensaiadas. A Vila Bom Jesus tem sido o centro de grande parte das operações.
Progresso
O muncípio de Serafina Correa, situado na encosta superior do nordeste gaúcho, a 230k de Porto Alegre, está com amplo progresso no seu sistema de segurança pública. Atualmente, Serafina já conta com uma delegada e dois agentes.

Deixe uma resposta