MIRIAM GUSMÃO / Perdidos no espetáculo

Quando as manifestações coletivas ficam imersas no espetáculo, tudo pode acontecer, pois no espetáculo tudo cabe. E será mais espetacular quanto mais catastrófico for.

Seria necessário que a humanidade, adormecida em cada um e em todos,  acordasse e pulasse para além do espetáculo.

A humanidade tenta acordar dentro de um ou outro ser humano, mas os demais prontamente a fazem dormir. Não com acalantos, pois os acalantos fariam adormecer os mais eufóricos atores do espetáculo e acordariam a humanidade. Não com pensamento, pois o pensamento é um complicador para o mundo do espetáculo.

A humanidade volta a dormir sob alaridos diuturnos, sob o desdobrar de slogans e de slogans que imitam slogans. Volta a dormir cansada de tanto ver  gestos caricatos, de tanto ver naufragadas no  espetáculo causas que eram humanas.

Sobram duas perguntas: alcançaremos  a vida além dos palcos? Ou: quando será o último ato?
(11.6.2020 )

Um comentário em “MIRIAM GUSMÃO / Perdidos no espetáculo”

  1. Miriam Gusmão em sua crônica da quarentena, não consegue dissimular a poeta que é. Texto aparentemente leve, nos faz refletir sobre o tempo que nos toca viver enclausurados , com uma profundidade que vai nos conduzindo a perguntas acachapantes. ?????

Deixe uma resposta