Nos tempos da barbárie é que era bom

Andres vince
Nos bons e velhos tempos da barbárie, a violência fazia parte do cotidiano. Naqueles tempos, tudo se resolvia na base da melhor espada, do maior machado, do melhor preparo para o combate. Havia algum equilíbrio nisso.
Nos bons e velhos tempos da barbárie, não existiam os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, protagonizando ações, ou até inações, que fariam os bárbaros sentir vergonha alheia.
Nos bons e velhos tempos da barbárie, não havia um grupo especial e treinado para reprimir manifestações de pensamento.
Nos bons e velhos tempos da barbárie, um líder não iria durar muito no posto se fosse pego de braço erguido gritando: “eu não vou cortar”, ao mesmo tempo em que segura com a outra mão uma tesoura escondida nas costas.
Nos bons e velhos tempos da barbárie, um líder não mandava tirar a moradia de quem está em piores condições de lutar.
Nos bons e velhos tempos da barbárie, alguma cabeça rolaria se alguém declarasse que iria proteger as mulheres, logo depois de ter feito tudo pra menospreza-las e diminuí-las.
Nos bons e velhos tempos da barbárie, se uma mulher fosse pega brincando com armas que fazem parte do seu ambiente, isso não serviria de justificativa para estuprá-la. Muito menos se ela estivesse drogada. E muito menos ainda, o pessoal sairia por aí contando isso pra todo mundo.
Nos bons e velhos tempos da barbárie, gorilas não davam pitaco na educação das crianças, mesmo que esse gorila falasse.
Nos bons e velhos tempos da barbárie, se um garoto conspirasse contra um líder, conclamando um motim espontâneo, livre e independente e fosse apanhado com a mão no pote dos adversários do líder, bom, nesse caso, acho que o garoto seria anistiado, visto que a própria desmoralização já seria suficiente.
Por essas e outras que acho uma injustiça dizerem por aí que vivemos em tempos de barbárie. Nos tempos da barbárie é que era bom.
Mas, aos saudosos dos bons e velhos tempos da barbárie, ainda resta alguma esperança. Existe um grupo empenhado em revogar o Estatuto do Desarmamento, devolvendo a todos os nobres cidadãos o direito de portar uma arma de fogo.
Aí sim, teremos de volta os bons e velhos tempos da barbárie, quando poderemos consertar o para-choque do carro com dois tiros no peito do motorista que causou o amassado.
Ah, os bons e velhos tempos da barbárie.
 

2 comentários em “Nos tempos da barbárie é que era bom”

Deixe uma resposta