O amor pela a cidade e a sombra do medo

A rotina da violência e da criminalidade chega a quebrar a própria indignação.
As organizações policiais estaduais, menos com objetivos midiáticos do que os de prestar contas à sociedade das tarefas que consegue realizar, diariamente envia para os órgãos de comunicação os resultados de operações que resultam em prisões de bandidos isolados e, por vezes, de quadrilhas inteiras, apreensões de drogas e de máquinas caça-níqueis. localização de carros furtados, homicídios elucidados e relatórios outros. Essas ações bem sucedidas, no entanto, não significam um crescimento da eficiência policial. Elas revelam, em verdade, o comportamento estóico dos profissionais da segurança diante do congelamento de medidas dos governos que poderiam influir, imediatamente, no fortalecimento real do policiamento ostensivo e das atividades da polícia judiciária.
A síntese do quadro que apresento é provocadora de angústia e até de neuroses. Os cidadãos passam a ter medo da cidade que amam. Ontem, repassando, rapidamente, as narrativas de dramas vividos no meu círculo de conselheiros e amigos, sem muito esforço, relacionei dez casos de assaltos a mão armada, três deles no rol dos seqüestros relâmpagos e um episódio com a vítima ferida a bala. Tudo isso num curto espaço de tempo e dentro de Porto Alegre. Invade-me a certeza de que tal relato não supreende ninguém e, pior do que isso, até mesmo a indignação da sociedade dá sinais de esmorecimento.
Empresa fantasma
A Polícia Civil, através da 3ª DP de Porto Alegre apreendeu entre 70 e 100 mil reais de equipamentos de “pet shop” pertencentes a uma empresa fantasma de produtos agropecuários e transportes. Com o nome de Agronel, a empresa realizava compras e empréstimos bancários. Um dos integrantes do grupo foi preso.
Mulheres
O Posto Policial para a Mulher de Passo Fundo, dentro dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher, está fazendo uma série de atividades para marcar essa luta. Durante esta semana e a próxima, serão oferecidas às mulheres que buscarem o posto orientação com relação à saúde, em especial DST/Aids e câncer do colo do útero e de mama, prestadas por alunos do curso superior de Enfermagem da UPF. Também estão sendo oferecidas orientações acerca de estética e bem estar, prestadas por alunos dos cursos profissionalizantes oferecidos pela Prefeitura Municipal de Passo Fundo, e por alunos do Senac. Juntamente com isso, são distribuídos materiais de orientação acerca de direitos da mulher e aplicação da Lei Maria da Penha.
Bandido
Agentes do Denarc, comandados pelo delegado Fernando Oliveira, prenderam um homem conhecido pelo apelido de Neneco que tomava um apertivo num bar do bairro Passo das Pedras, em Porto Alegre. Neneco possui antecedentes criminais por crimes de roubos a estabelecimentos bancários, assalto a carros-fortes e integrava a principal quadrilha de assaltantes de banco do Estado na década de 90. Atualmente, o bandido atuava no tráfi-co de entorpecentes.
Banco
Os bancos, onde se pode sacar, depositar dinheiro e também ser assaltado, em geral dão um atendimento a seus clientes bem abaixo da pro-paganda que fazem. Há alguns meses citei o tratamento absurdo que vinha sendo dado aos clientes da terceira idade na agência do Banrisul da Andrade Neves. No entanto, isso mudou radicalmente, para melhor, com a posse do gerente Célio da Silva Moreira, jovem mas veterano fun-cionário da casa. Como está tudo indo bem, já existe uma trama para transferir Célio.
Jornalismo
As inscrições de trabalhos concorrentes ao Prêmio ARI de Jornalismo 2008 só poderão ser feitas até as 18h do dia 3 de dezembro. Podem entrar na disputa os trabalhos divulgados entre 1º de novembro de 2007 e 31 de outubro de 2008. o regulamento e a ficha de inscrição encontram-se no site da ARI (www.ari.org.br), mas o material deverá ser entre-gue na Secretaria da entidade, na Avenida Borges de Medeiros, 915 – 7º andar.
Ex-deputado
O júri do advogado e ex-deputado estadual Gudbem Castanheira foi adiado pela segunda vez. O advogado de defesa, Lauro Batista da Silva deixou o caso depois de ter apresentado atestado médico. Castanheira é acusado de mandante do assassinato de Antônio Carlos Casagrande, crime ocorrido em 2003 na Câmara Municipal de Soledade. A promotora de justiça Lúcia Callegari pediu a prisão preventiva de Castanheira devido a possíveis manobras para adiar o julgamento. Lúcia quer que seja apurada a veracidade do atestado do advogado de defesa além da indicação de um defensor público para garantir a realização do júri.

Deixe uma resposta