O voto anti-PT vai para Ciro Gomes

Haddad e Ciro disputarão o segundo turno. Bolsonaro alimentou o ódio ao petismo. Não avança mais simplesmente porque ninguém confia nele, nem no vice, sedento pra acabar com a democracia. Aliás, um não confia no outro. General Mourão foi desautorizado a participar de debates entre os vices. Patacoada sem fim.
Além do mais, os empresários não confiam em Bolsonaro, nem os banqueiros, tampouco a imprensa, as Forças Armadas, ninguém confia. Acham que ele é o Jânio Quadros piorado, o Collor em P&B. Quem tem muita grana guardada não quer mais saber de medidas tresloucadas.
Alguns notáveis anti-petistas já declararam que não votam em Bolsonaro – Arnaldo Jabor, Claudia Raia, Reinaldo Azevedo, Fernando Henrique Cardoso. A pá de cal foi a manifestação da jornalista radical anti-petista Rachel Sheherazade. Disse que, “como mãe, não poderia apoiar o ódio”.
Podem não admitir publicamente, mas os anti-petistas apostarão todas as fichas em Ciro Gomes, o único capaz de fazer frente a Haddad. Os conservadores irão optar pelo voto útil, naquele que tem mais condições de vencer o PT.
E Alckmin? Está inerte, quase morto, atropelado por inúmeras acusações de desvio de dinheiro públicos que pesam contra suas administrações e contra os caciques do PSDB. O velho Meirelles tira onda com ele, sugeriu que Alckimin desistisse da candidatura e o apoiasse. Os ‘mui’ amigos do tucano já avisaram que a debandada é certa.
Bolsonaro tem apoio daqueles pastores vidrados nos “bezerros de ouro”, como alertava Brizola; sustenta abertamente o ódio a tudo que é diferente e a todos que discordam dele; é um crítico do bolsa família mas não vê problema no uso do auxílio moradia pra pagar prostituta; brada contra a corrupção mas aceita 200 mil em propina de empreiteira através do partido; acha que mulher, negro e índio são inferiores aos homens “bem-nascidos” – seja lá o que isso quer dizer – e que o sangue dele é melhor do que o de um gay – defendeu isso na tevê, acredite -; acha que mulher tem que ganhar menos porque engravida; o cara é a favor da tortura e lamenta que a ditadura militar não matou mais!
Os eleitores convictos do Bolsonaro provavelmente aprovam tudo isso. E ninguém vai mudar esse conceito deles. Mas não são maioria. Aliás, fazem parte da minoria da população que o seu candidato tanto despreza.

Deixe uma resposta