Passamos a ser exemplo

* Eng.Vitor Bertini
O sucesso do movimento dos moradores do bairro Moinhos de Vento e da Marquês do Pombal pela preservação do túnel verde da rua deve ser colocado como exemplo de defesa de interesses legítimos e de resultados, sem radicalismos de ambos os lados envolvidos. A primeira reação das pessoas, surpresas e assustadas com início do corte radical das tipuanas, foi de revolta, de protesto veemente para impedir que a destruição alcançasse um ponto irremediável. O momento seguinte, no entanto, se caracterizou por uma atitude positiva que ganhou receptividade no bairro e na cidade e sensibilizou as autoridades municipais, desde o Prefeito, até os responsáveis pelas obras do conduto forçado Álvaro Chaves.
Partiu-se, então, para a busca de uma solução que analisou, em primeiro lugar, a possibilidade de colocação dos dutos, sem a quase eliminação das árvores. Diante do fato de não ser viável esta alternativa, apontou-se para o estudo técnico de desvio das obras por um outro trajeto. Foi o que terminou acontecendo.
O envolvimento das comunidades na solução de uma questão pontual e que mexe com o seu dia a dia torna-se cada vez mais comum, à medida que as pessoas exercem a plena cidadania. Nem sempre, entretanto, as reivindicações se preocupam na construção do caminho desejado, ou de abrir um diálogo com o causador do transtorno, ou com quem decide uma nova obra, ou serviço reivindicado. Assim, o outro lado achará desculpas mais fáceis, ou terá poucos argumentos para mudar a decisão anterior.
A avaliação do fato que faço, com a visão de gestor público que fui até poucos dias atrás e de ativo participante desta causa de preservação das árvores, é de que as duas partes podem se sentir vitoriosas. Por isto, aponto o “case” tipuanas da Marquês do Pombal como paradigma. Não dá para aplicar aqui o ditado de que um negócio é bom quando satisfaz os dois lados, porque não se tratou de aspectos comerciais ou financeiros, mas de uma manifestação de amor à natureza e à beleza da cidade que conseguiu ampla receptividade, graças aos nossos esforços e união. Parabéns a todos nós e principalmente aos moradores da Marquês.

Deixe uma resposta