Polícia Civil espera as festas sem mudanças

Democraticamente, nomes de expressão rondam a cadeira do chefe da instituição.
O troca-troca na Polícia Civil, a partir de sua chefia, deverá acontecer nos primeiros dias de janeiro. O quadro atual indica que, durante as festas natalinas e de Ano Novo, estarão em sofrido limbo tanto os que estão em queda livre quanto os que permanecem livres para sonhar. O atual chefe de polícia, delegado Pedro Rodrigues, parece ainda acreditar em recuperar seu prestígio com a governadora Yeda Crusius e permanecer no posto. Pedro – que dá entrevistas referindo-se a si mesmo na terceira pessoa, no melhor estilo das celebridades do futebol, perdeu as graças do Piratini ao tratar com panos quentes posições de seu amigo, delegado Luiz Fernando Tubino, que entrou em rota de colisão com a governadora em depoimento dado na CPI do Detran. A estatura de Pedro, como policial, não está em discussão e, sim, a sua inabilidade em definir o que é ou não é fidelidade a sua chefe maior. Sigam-me.
Ventos
Pedro está sofrendo os ventos provocados por nomes que surgem para ocupar a sua cadeira. Um deles é o do delegado regional de Caxias do Sul, Paulo Roberto da Rosa que, se alcançar o galardão, segundo meus conselheiros, tem a tendência de manter na subchefia o delegado Francisco Tubello. Outro nome que surge é o do delegado José Luís Carvalho Sávio, profissional que sempre gozou de grande prestígio com o ex-presidente do Tribunal de Justiça do RS, desembargador aposentado e, hoje, comunicador e advogado Marco Aurélio Barbosa Leal.
Conselheiros
A Divisão de Comunicação Social da Polícia Civil continua com sua cúpula montada em Capão da Canoa, sob a liderança do comissário Newton Ramos, que saiu de seu gabinete situado no Palácio da Polícia, à beira do arroio Dilúvio, para trabalhar sob a brisa do mar. E por falar em comunicação, soube que a minha torre está sendo observada, pois há quem deseja saber quem são os meus conselheiros e a que horas aqui chegam para as reuniões. Isso envaidece este humilde marquês.
Traficantes
Ontem, agentes do Denarc prenderam, em Alvorada, na rua Zero Hora, três pessoas por tráfico de drogas. Foram apreendidas 37,8 gramas de cocaína, 63 gramas de crack, 26 gramas de maconha e nove celulares. A existência de fitas adesivas, estilete e luvas no local indicava que as drogas seriam embaladas para venda. Segundo o delegado Marcio Zachello, uma mulher de 48 anos foi encaminhada ao Presídio Madre Pelettier, enquanto dois homens, de 26 e 32 anos, foram conduzidos ao Presídio Central. Em Farroupilha, no bairro São Roque, numa diligência coordenada pelo delegado Clóvis Rodrigues Vanes de Souza, houve a prisão de duas mulheres, de 18 e 25 anos. No local, foram apreendidos cerca de 6 kg de maconha. O local vinha sendo monitorado há dois meses.
Insatisfação
Mais de 100 PMs participaram, no dia de ontem, de uma revista na Penitenciária Estadual do Jacuí, em Charqueadas. O alvo da operação foi a 5ª galeria do pavilhão D, onde estão os condenados pelos crimes como tráfico de drogas, roubo a banco e formação de quadrilha. Como de costume, foram encontrados telefones celulares, carregadores, facas artesanais, drogas e munição. A penitenciária abriga 2050 apenados e a capacidade é 1400. Os apenados, é claro, ficaram insatisfeitos com a ação.
Delegados
A Polícia Civil gaúcha empossou, ontem, os 28 novos delegados formados no início deste mês. A cerimônia ocorreu no Auditório Cícero do Amaral Viana, no Palácio da Polícia e foi prestigiada por toda a cúpula da instituição.
Assalto
Quadrilheiros assaltaram o depósito da empresa de bebidas Fruki, na noite de quarta-feira, na capital. Conforme a polícia, um homem usando o uniforme da empresa rendeu o vigia, abriu o portão e entrou com mais cinco bandidos. O grupo fugiu em dois veículos levando um valor total de R$ 150 mil.
Corpos
Agentes do Denarc, comandados pelo delegado Luiz Fernando Martins, localizaram na tarde de quarta-feira, em Gravataí, os corpos de Sandra Naira dos Anjos da Silva e José Oscar Santos dos Santos. Eles haviam sido seqüestrados no último dia 5 último por uma quadrilha de traficantes. O bando foi desarticulado no último no dia 8 pelo Denarc. Na oportunidade, foi preso Neri José Soares, apontado pela polícia, como o maior traficante das regiões Sul e Sudeste do País. A prisão de Neri é de excepcional importância, mas na rede que comanda o tráfico, com poder de vida e morte, ele é apenas uma peça.

Deixe uma resposta