Simulação da agilidade inexistente

PMs da reserva e os temporários são bem-vindos, mas não podem ir para a linha de frente contra a bandidagem.
Dentro do processo de reposição do efetivo da Brigada Militar, o governo, como medida de urgência, apresentou – mais exatamente, reapresentou – o plano de convocação de PMs da reserva além de abrir inscrições para PMs temporários. Seria absurdo contestar qualquer tipo de reforço para o polici-amento ostensivo, na mesma medida que não se pode ignorar que essas medidas de urgência servem mais para simular uma agilidade inexistente na política da segurança pública do que para plantar um projeto sólido, crescente e abrangente na luta intransferível contra a violência e a crimina-lidade. Os PMs gordinhos da reserva devem ser bem recebidos, assim como os noviços temporários. Dos primeiros, será pinçada a experiência e, dos últimos, a força da juventude. No entanto, eles não são policiais da linha de frente por inteiro, fato que é reconhecido pelos próprios especialistas da área. Aliás, eles não podem ser colocados na linha de frente, a não ser a-companhados pelos profissionais da ativa, que não são noviços nem gordi-nhos. Além disso, os dois contingentes somados serão pálido reforço numa corporação que carece de mais de 10 mil profissionais e que a cada ano é enfraquecida pelos processos de aposentadoria. Sendo assim, na estratégia contra a bandidagem, talvez nem a esperteza dos serviços de inteligência, que, por ora, está em pauta, possa dar à sociedade a sonhada sensação de segurança.
Sabedoria
A partir de amanhã, até sexta-feira, dia 19,acontecerá o 1º workshop da Rede Brasileira de Policiais e Sociedade Civil, RPS Brasil: práticas e sabe-res policiais, reunindo na sede da ONG Viva Rio, no Rio de Janeiro, polici-ais de todo o Brasil. O Rio Grande do Sul comparece com dois práticos e sábios representantes: o perito criminalístico do Departamento de Crimina-lística do IGP (Instituto-Geral de Perícias), Cleber Muller, que apresentará uma análise do modelo de Polícia Comunitária, do ponto de vista da crimi-nalística, e o inspetor da Polícia Civil Sérgio Flores, que vai propor o de-senvolvimento de uma política de integração entre sistemas regionais de segurança pública em áreas de fronteira.
Urgência
Sexta-feira, dia 12, numa flamante viatura nova da Brigada Militar, prefixo 3709, dirigida por um soldado e comandada por um sargento, às 16h15min, uma senhora sorridente era transportada com um nenê no colo. Com certe-za, um atendimento de urgência.
Sufoco
Hoje, na sede da Ugeirm-Sindicato, líderes de todas as entidades repre-sentativas da Polícia Civil e da Brigada Militar estarão recebendo as cúpu-las do PDT, PMDB e PPS quando será colocada em pauta a situação de penúria em que foram colocados todos os policiais gaúchos há mais de dez anos. Na semana que passou, a mesma questão foi colocada para líderes do PP. Esta união da entidades da Brigada e da Polícia Civil é inédita e come-ça a preocupar o Piratini.
Susto
Um dos gerentes da agência do banco Santander localizada no bairro Hamburgo Velho, em Novo Hamburgo, foi rendido por bandidos armados, ontem pela manhã, quando chegava para trabalhar. Os ladrões entraram no banco pela porta do auto-atendimento, mas se assustaram com a movimen-tação na rua e fugiram sem nada levar.
Ulbra
Cinco homens armados assaltaram, ontem, a agência do Bradesco no in-terior da Ulbra em Canoas. Eles renderam o vigia, roubaram o dinheiro dos caixas e a arma do segurança. Perto da entrada do estacionamento da uni-versidade roubaram um Corola cor prata e fugiram. É o segundo ataque ao mesmo local em pouco mais de um mês.
Perfeição
Ontem, o secretário da Segurança Pública, Edson de Oliveira Goularte, recebeu, no gabinete, dois empresários do Conselho Superior da Federasul, Raul Cohen e Ede Antônio Gasperin, e o presidente da ONG Brasil sem Grades, Luiz Fernando Oderich. O motivo da reunião foi a proposta de in-tercâmbio entre a pasta da Segurança Pública e a entidade que congrega o empresariado gaúcho. O entendimento entre as partes foi perfeito e, na pró-xima reunião da Federasul, fará uma palestra. No encontro, da máxima im-portância, houve duas ilustres ausências: a do chefe da Polícia Civil, dele-gado Pedro Rodrigues, e do comandante-geral da Brigada Militar, coronel Paulo Roberto Mendes.

Deixe uma resposta