Arte e Ciência em um projeto internacional para crianças e jovens

O projeto Arte Como Ciência inicia o ano de 2021 ampliando ainda mais as suas ações internacionais. No dia 19 de janeiro, às 14h30, profissionais com sede em oito países vão se reunir para refletir sobre Arte para Crianças e Jovens. O encontro é promovido em parceria com o Centro Brasileiro da Associação Internacional de Teatro para a Infância e Juventude (CBTIJ/ASSITEJ Brasil) em uma edição mais que especial do projeto.

Na tela do canal do Youtube do Arte Como Ciência, Clarissa Malheiros (México), Idris Goodwin (Estados Unidos), Jerry Adesewo (Nigéria), María Inés Falconi (Argentina), Imran Khan (Índia) e Yuck Miranda (Moçambique) vão relacionar as especificidades dialógicas do teatro para crianças com o trabalho artístico que desenvolvem e o contexto em que o mesmo está inserido.

A reflexão parte de questionamento proposto pela coordenadora pedagógica do projeto, Viviane Juguero, que atualmente encontra-se na Noruega, realizando pós-doutorado em teatro para a primeira infância na Faculdade de Educação e Artes da Universidade de Stavanger; e do coordenador de tradução solidária e assuntos da infância, além de presidente do CBTIJ, Cleiton Echeveste, sediado no Brasil, ambos com longa trajetória dedicada à criação e investigação de arte para crianças e jovens. Também em território brasileiro, estão a coordenadora técnica do projeto, Daniela Israel, com diversas realizações audiovisuais para público infantil, e a coordenadora de divulgação, Simone Lersch, com amplo trabalho de assessoria de imprensa na área.

Ao reunir um grupo tão qualificado de artistas-cientistas, o especial contempla o desejo do Arte Como Ciência de promover a reflexão científica sobre o papel social da arte, com base nas suas especificidades comunicativas vinculadas às particularidades de diferentes contextos.

Outra característica interessante desse encontro é que ele será realizado em diversos idiomas, sempre contando com a traduções solidárias para o inglês e o espanhol, realizadas por Celso Jr. e Paula Cabrera.

Serviço:

Arte como Ciência | Episódio 05

Episódio especial do Arte como Ciência em parceria com o  CBTIJ/ASSITEJ e participação de artistas e pesquisadores da  Argentina, Estados Unidos,  Índia, México, Moçambique e Nigéria sobre “Arte para Crianças e Jovens”.

Data: 19 de janeiro de 2021 |  terça-feira | 14h30

Local: Canal artecomociencia no youtube –

https://www.youtube.com/watch?v=fcHbMD6HgT4&ab_channel=artecomociencia

Sobre o projeto:

O projeto ARTE COMO CIÊNCIA apresenta entrevistas com artistas que desenvolvem um olhar reflexivo e científico sobre a relação entre seu fazer artístico e a sociedade. A intenção é dialogar sobre o papel crucial e específico que as distintas criações artísticas desempenham na permanente formação pessoal e coletiva, em cooperação, mas não em subordinação, com outros campos do saber.

Em 2020 foram realizados três episódios – entrevistas inéditas ao vivo com os brasileiros Jessé Oliveira e Richard Serraria, e a estadunidense Kathy Perkins. O conselho consultivo, as entrevistas previstas, as parcerias e detalhamentos da proposta podem ser conferidos no site artecomociencia.com

Participantes do especial de janeiro:

Clarissa Malheiros , México. Foto: Divulgação

Clarissa Malheiros (México):
É atriz, criadora cênica e divide a direção artística do LA MÁQUINA DE TEATRO com Juliana Faesler, companhia mexicana de teatro com 26 anos de contínua produção e criação de espetáculos de diversos formatos, sempre buscando intercâmbio e relacionamento entre as diferentes disciplinas das artes cênicas. A companhia é reconhecida pela originalidade de suas propostas, por seus projetos e ações sociais e pela exploração de temas filosóficos e históricos e seu cruzamento com a complexidade da vida contemporânea. O La Máquina atua numa perspectiva feminina, ambientalista, anti-especista, comprometida com a infância e com o desenvolvimento social e comunitário. Estudou Artes Cênicas no Brasil, teve aulas com Jerzy Grotowski e estudou na École Internacionale de Theâtre de Mouvement Jacques Lecoq, em Paris.

Idris Goodwin, EUA, Foto: Mercedes Zapata/Divulgação

Idris Goodwin (Estados Unidos):

Idris Goodwin é um premiado poeta break-beat, dramaturgo e diretor do Centro de Belas Artes de Colorado Springs, no Colorado College, Estados Unidos. Além da coleção de poesia Can I Kick It?, recentemente lançada, ele teve várias publicações pela Haymarket Books, incluindo Inauguration, co-escrita com Nico Wilkinson; Human Highlight: Ode To Dominique Wilkins, e a peça This Is Modern Art, co-escrita com Kevin Coval . Ele apareceu na HBO Def Poetry, Sesame Street, NPR, BBC Radio e no Discovery Channel. Suas peças incluem And In This Corner Cassius Clay, How We Got On, Hype Man e This is Modern Art. Idris é o co-apresentador do Podcast Same Old New School na Rádio Vocalo.

Jerry Adesewo (Nigéria)

Jerry é escritor, produtor e diretor teatral e gestor cultural. É o fundador e Diretor Artístico do Arojah Royal Theatre, espaço teatral privado, em Abuja, capital da Nigéria, que ganhou grande reconhecimento pelo esforço de sustentar a cultura teatral na Nigéria, especialmente em Abuja. Como jornalista de cultura, colaborou com os jornais NEXT, Guardian, Trust, National Mirror, Newscalabash e as revistas Metropole, City Pages, Korean Times e The Enlightener. Até recentemente, foi Diretor Nacional de Produções, da Associação Nacional de Profissionais de Teatro da Nigéria; Coordenador Central do Norte, da ASSITEJ Nigéria; Representante FCT, da Arterial Network da Nigéria; membro da Associação Internacional de Críticos de Teatro; Secretário da Associação de Autores Nigerianos (seção Abuja); Coordenador na Nigéria do INDRA Congress; e Fundador e Presidente do Centro Internacional de Artes Cênicas e Criativas.

María Inés Falconi , Argentina. Foto: Magdalena Viggiani/ Divulgação

María Inés Falconi (Argentina)

Dramaturga dedicada ao público infanto-juvenil, iniciou a sua atividade com a peça “Tornillos Flojos” (“Parafusos Soltos”, Prêmio dos Direitos da Criança concedido pela APDH) em 1985. Desde então, tem desenvolvido uma intensa atividade no Teatro Infantil e Juvenil, com a estreia de mais de 30 peças dirigidas a todas as idades. Suas peças foram apresentadas na Argentina e no exterior, e algumas delas traduzidas para outros idiomas. Entre os prêmios recebidos estão os Prêmios Argentores, Fundo Nacional de Artes, Menção Honrosa em Dramaturgia Ibero-americana, Badajoz, Espanha, e Prêmios ATINA. Sua atividade literária compreende também a escrita de narrativas para crianças e jovens, tendo publicado mais de 50 títulos de romances e contos até hoje. María Inés Falconi é membro fundadora e atual presidente da ATINA (Associação de Teatros Independentes para Crianças e Adolescentes) e Membro Honorário da ASSITEJ (Associação Internacional de Teatro para a Infância e Juventude).

Imran Khan , Índia. Foto: Surangana Chatterjee/ Divulgação

Imran Khan (Índia)
Ator, diretor e contador de histórias, completou sua pós-graduação em Urdu, na Universidade de Delhi, em 2002. Trabalhou com alguns dos mais destacados diretores indianos, como o Dr. Ashish Ghosh, Sr. Ashok Lal, Sra. Anamika Haksar, Sr. Sudhanwa Deshpande e Sra. Maya Rao. Em uma carreira de mais de 23 anos, ele tem sido muito ativo como diretor de teatro para crianças e jovens, e como especialista em teatro em várias escolas, Departamento de Educação, Universidade de Delhi e grupos de teatro dentro e fora de Delhi. Como ator e diretor, seu trabalho tem sido apresentado em vários festivais de teatro nacionais e internacionais de prestígio na Índia, Coréia do Sul, Itália, Hong Kong, Sri Lanka e Irã. Como gestor, Imran atuou no Comitê Executivo da ASSITEJ Índia durante 10 anos. Ele também foi Membro do Comitê Executivo da ASSITEJ Internacional de 2011 a 2017. Atualmente, Imran dirige sua própria organização sem fins lucrativos – Theatre I Entertainment Trust – e é diretor fundador do Festival Internacional Pitara de Teatro para Crianças e Jovens.

Yuck Miranda (Moçambique)

Ator, performer e dramaturgo, o moçambicano é graduando em Teatro na Universidade Eduardo Mondlane, em Maputo. Tem 10 anos de atividade em artes, nas áreas de música e voz, movimento e dança, com ênfase em temáticas relacionadas à criança, LGBTQ+ e igualdade de gênero. Recentemente esteve em Paris, desenvolvendo seu projeto “Identidades Não-Identificadas”, centrado em narrativas da comunidade LGBTQ+ em diversos países. Seus primeiros trabalhos com uma companhia, a Luarte, foram “Embrulhados na Inocência” e “Extractos duma Loucura Emergente”. Com a companhia Mutumbela Gogo, atuou em “O Inspetor Geral” e “Os Pilares da Sociedade”, com direção de Manuela Soeiro. Escreveu a performance “Duda”, apresentada no palco da ASSITEJ Zimbábue. Também junto à ASSITEJ, participou do Festival Bibu, na Suécia, em 2014, e do Encontro Artístico de Kristiansand, na Noruega, em 2019, como parte do Programa de Intercâmbios Next Generation. Em 2017, na África do Sul, participou do Festival “Afriqueer – Drama for Life”, com a peça “A Criação das Estrelas”. Em 2019, fez turnê com a performance “Transforma” em Ruanda, África do Sul e Zimbábue. Neste mesmo ano, apresentou sua performance solo “Sorria” e a performance “Mercados” na Rede Internacional de Residências Artísticas (RIR), PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) 2019,em Moçambique.

Nossos canais de comunicação:

Site oficial: https://www.artecomociencia.com/

Canal no Youtube: artecomociencia

Instagram: @artecomociencia | https://www.instagram.com/artecomociencia/

Facebook: /artecomociencia 

E-mail: [email protected] 

 

Confira os melhores momentos do quarto episódio com Kathy Perkins sobre Antologias de peças africanas e da diáspora africana, criadas por mulheres:

https://www.youtube.com/watch?v=hA7F7KAVZsA&ab_channel=artecomociencia

Ficha Técnica do projeto:

Entrevistados no mês de janeiro: Clarissa Malheiros (México), Idris Goodwin (Estados Unidos), Jerry Adesewo (Nigéria), María Inés Falconi (Argentina), Imran Khan (Índia) e Yuck Miranda (Moçambique)

Mediação e coordenação pedagógica: Viviane Juguero

Coordenação técnica: Daniela Israel

Coordenação do CBTIJ e de tradução solidária: Cleiton Echeveste

Coordenação de divulgação: Simone Lersch

Tradução para o espanhol: Paula Cabrera (UFSM)

Tradução para o inglês: Celso Júnior (UFRB)

Produção: Bactéria Filmes

Deixe uma resposta