Salário é a bandeira dos profissionais da segurança

Líder dos oficiais da Brigada aponta o coronel Mendes como a “personalidade política mais importante do governo”.
O retorno de sua viagem à Holanda é possível que não seja, exatamente, um amargo regresso para a governadora Yeda Crusius. No entanto, antigas pedras estarão no seu caminho numa das partes mais sensíveis do corpo do seu governo, que é a segurança pública. Ocorre que a Brigada Militar, em todos os seus segmentos, e a Polícia Civil, através, principalmente, da Asdep (Associação dos Delegados) firmaram um acordo de congelarem todas as suas discussões em torno de diferenças de atribuições operacionais para exigirem, unidos, uma remuneração que lhes retire do que consideram um patamar vergonhoso em relação ao resto do país. Dentro deste quadro reivindicatório, na Brigada Militar, há duas lideranças: o comandante-geral da corporação, coronel Paulo Roberto Mendes e o presidente da AsofBM (Associação dos Oficiais), coronel da reserva Cairo Bueno de Camargo. Na Polícia Civil, a liderança é do presidente da Asdep, delegado Wilson Müller. Um projeto será entregue à governadora e do seu encaminhamento dependerá o fortalecimento ou a queda da liderança do coronel Mendes como também a manutenção ou não de um diálogo do Piratini com os profissionais da Polícia Civil. Sigam-me.
Toalha
Ontem, no almoço promovido pela AsofBM, com o salão de festas do Clube Farrapos absolutamente lotado pela oficialidade da Brigada Militar e convidados especiais, entre os quais os ex-governadores Alceu Collares e Jair Soares, o presidente da entidade, Cairo Bueno de Camargo, afirmou e reafirmou que o coronel Mendes, que foi o palestrante do evento, é “a personalidade política mais importante do governo Yeda Crusius”. Ao dizer isso, Camargo deu a sua palavra de que Mendes terá o apoio de toda a família brigadiana na luta por melhor salário desde que ele – Mendes – não “atire a toalha”. Eis uma pontinha do que está a espera de Yeda.
Jogatina
Agentes da Polícia Civil de Passo Fundo, coordenados pela delegada Claudia Cristina Santos da Rocha Crusius, efetuaram a operação “Game over”, para apreensão de CDs, DVDs e jogos falsificados, em apoio ao INARF (Instituto Nacional de Repressão à Fraude). Entre quarta e quinta-feira, em buscas feitas em locadoras e bancas do camelódromo, foram apreendidos 7480 DVDs e 7321 CDs de música e jogos.
Droga
Oito pessoas foram presas em operação do MP (Ministério Público), na manhã de ontem, em Frederico Westphalen, Região Norte do estado. Houve a apreensão de pasta de cocaína, crack e material utilizado para refino da droga que seria entregue a traficantes de municípios da região. Conforme o MP, o esquema era comandado por traficante detido em Ijuí que seria responsável pela compra e distribuição da droga. O bando movimentava R$ 100 mil por semana.
Carros
Numa operação da Polícia Civil, coordenada pelo delegado Ranolfo Vieira Junior, foram presas, ontem, 24 pessoas de uma quadrilha de roubo de carros e veículos de carga. As prisões ocorreram em Novo Hamburgo, São Leopoldo, Estância Velha, Sapucaia do Sul, Esteio e Canoas. Cinco suspeitos estão foragidos, entre eles dois paraguaios apontados como receptadores de carros roubados no estado. O grupo levava quatro carros por semana para o Paraguai e tinha receptadores na Região Metropolitana, em Santa Catarina e no Paraná. Durante a investigação, iniciada em março, pelo menos 35 veículos foram recuperados. Ação mobilizou 220 policiais em 51 equipes em 71 viaturas.
Jogo
As ações da Polícia Civil que foram realizadas nas últimas semanas que compreenderam investigação, identificação e prisão de quadrilheiros – traficantes de drogas, ladrões de carros e de cargas – correspondem a um significativo avanço em relação ao combate fácil e com repercussão mínima na contenção da violência e da criminalidade, contra os grupos que concorrem, no campo da jogatina, com a Caixa Federal.

Deixe uma resposta