Policiais gaúchos montam uma força única

O vexaminoso patamar salarial dos profissionais da segurança pública une as lideranças da Brigada Militar e da Polícia Civil.
Desde que os servidores da Brigada Militar e da Polícia Civil passaram a se organizar em associações e sindicatos – o que aconteceu após os anos de chumbo – pela primeira vez, todas as lideranças das duas instituições estão integradas com um único objetivo: libertar os profissionais de polícia gaú-chos do vexaminoso patamar dos piores salários do país. O consenso das entidades dos policiais considera como parâmetro os vencimentos dos seus colegas de São Paulo que, das policias estaduais, é a de padrão salarial mais elevado. O governo de Yeda Crusius passará a enfrentar uma pressão inédi-ta, pois é mássica. As probabilidades de diálogo estão plenamente abertas, mas não haverá espaço para a procrastinação, pura e simples, de decisões, fenômeno que tem ocorrido há décadas.
Ontem, na sede da AsofBM (Associação dos Oficiais da Brigada Militar), todos os segmentos da Brigada e da Polícia Civil, iniciaram, com o PP, en-contros que terão com todos os partidos com representação na Assembléia Legislativa. O secretario estadual Celso Bernardi e o deputado Jerônimo Goergen sentiram de perto a força recém-criada. Foi um momento históri-co, presidido pelo presidente da AsofBM, coronel da reserva Cairo Camar-go, e que terá continuidade na próxima semana na Ugeirm-Sindicato e, su-cessivamente, em todas as entidades representativas da classe policial. Se-gundo Cairo, “a prioridade para a segurança pública deve deixar de ser uma mentira.”
Assaltos
A secretaria do cemitério João XXIII, em Porto Alegre, em Porto Alegre, foi invadida por dois assaltantes armados que chegaram e saíram em uma moto. Os bandidos levaram dinheiro e pertences dos funcionários. Sete homens armados assaltaram o supermercado Asun, no bairro Rubem Ber-ta, na capital. Eles fugiram levando cerca de mil reais dos caixas. Na Zona Norte, dois homens e uma mulher saquearam uma joalheria do shopping Bourbon Country de onde levaram, entre outros valores, um cofre. Isso tu-do no dia de ontem.
Guri
Um revólver de calibre 38 foi apreendido com um adolescente no Colé-gio Estadual Júlio de Castilhos. PMs viram o guri com a arma na rua. Du-rante a tentativa de abordagem o estudante, de 17 anos, correu para dentro da escola, onde foi capturado.
Fraqueza
Um bandido foi espancado, ontem, por pais e alunos após praticar assalto em frente à Escola Estadual Itamarati, bairro Sarandi, na capital. O assal-tante costumava atacar, com sucesso, os alunos da escola e, ainda ontem, investiu contra uma menina de 14 anos que foi jogada por ele no chão. A justiça pelas próprias mãos é um dos sintomas do enfraquecimento das es-tratégias da segurança pública.
Traficante
Uma mulher de 37 anos foi presa, ontem, acusada de ser uma das líderes do tráfico de drogas no bairro Mathias Velho, em Canoas. Ela carregava 1.200 pedras de crack. Segundo a Btigada Militar, a traficante chegou a o-ferecer R$ 3 mil para ser libertada.
Candidatos
O convite feito pelo comandante-geral da Brigada Militar, Paulo Roberto Mendes, para que os candidatos à prefeitura de Porto Alegre compareces-sem na Vila Bom Jesus, ontem, quando poderiam avaliar os problemas vi-vidos por aquela comunidade, independente das questões de ordem policial, não teve a resposta esperada. Lá compareceu apenas Befran Rosado, que é candidato a vice-prefeito na chapa liderada por Manuela d’Ávila. Os de-mais candidatos, por certo, estavam comprometidos com outras vilas.
Festa
O CPC (Comando de Policiamento da Capital) da Brigada Militar, rece-beu ontem um lote de 43 viaturas (pick-ups Ford Ranger, cabine dupla e motor a gasolina). O recebimento das viaturas e o desfile por algumas ruas da cidade, durante a manhã, causou sérios congestionamentos no trânsito, mas em dias de festa isso pode ser considerado natural.
Mal-estar
A pretensão do MP (Ministério Público Estadual) em transformar uma área para a pratica de esportes da Academia de Polícia Militar, no Partenon, em estacionamento de carros está causando um mal-estar não só na Brigada Militar, que há mais de um século ocupa aquele espaço. Além da família brigadiana, a área tem servido para atividades de escolas da vizinhança como a Aparício Borges e Paulo Gama. Além disso, o MP está devendo, há mais de dois anos, para a Brigada, a construção de uma sala de aula para a Academia naquele local.
Esperteza
Da longa entrevista dada pelo titular da pasta da Segurança Pública do RS, Edson de Oliveira Goularte, ao jornal Zero Hora (edição de terça-feira última), na condição de um humilde marquês, considerei como o seu gran-de momento esta frase: “Já que não somos muitos, temos de ser mais esper-tos que os criminosos.”

Deixe uma resposta